Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


O "câncaro", o meu pai e todos os outros...

por lady magenta, em 01.08.12

E cá andamos nesta vidinha...

Uns dias mais doentes outros dias, parece que a saúde resolveu insuflar o seu salutar vigor vigor, em corpos carcomidos pela doença...

O pai do meu filho está...Num estado geral tal, que eu, euzinha da silva, decidi que não tenho coragem de o ir ver...

O meu pai continua, na sua batalha diária...Agora mais prostrado, também devido à medicação nova, anti ataques de ansiedade. Teve de ser...

Ontem foi dia de "junta médica"...Para terem a certeza absoluta de que o meu pai está mesmo doente. Recusei-me a levá-lo. Podem julgar o que quiserem...Não é uma questão de não querer mais estar presente, é uma questão de sanidade mental.

Como poderia eu acompanhá-lo e ficar calada? Jamais...É absolutamente ridículo um doente destes ser submetido a uma junta médica, para o Governo lhe pagar mais 80 € na reforma...Mal de quem precisa e tem de calar a necessidade...

Não fui, não me arrependi.

Não me arrependi dos olhares compassivos, nem de não ouvir os comentários em surdina.

Tenho olhos na cara...Para ver a degradação física e mental do meu pai...E para que conste, da minha mãe também.

Ainda hoje, começou a chorar para dentro do prato do almoço...Gelei. Em vez de chorar com ela, fui a correr para a casa de banho.

Não tenho vergonha que me vejam chorar...Mas tenho de me manter forte, porque tenho muitos a depender de mim...Se me for abaixo, que os segura?

...

Mãe da foca...Ninguém merece.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:42


10 comentários

De pachazinha_loirinha a 01.08.2012 às 21:49

força , tudo há de correr bem

De Clísteres e Pulgas a 01.08.2012 às 23:16

Dignidade. Respeito. Escolha. Entre passar fome e ficar sem estes traços, passemos fome. Que não nos seja retirada a escolha respeitosa de passar fome. Quero prostituir-me ou passar fome? Não me quero prostituir mas não quero que os meus filhos passem fome? Todas estas escolhas são dignas de um ser humano e "incriticáveis". Não queremos submeter aqueles que estão a nosso cargo a experiências dolorosas, marcantes, más memórias numa altura em que todos os momentos contam? Faça-se silêncio. Não há juiz, nem jurados, pois nada está em causa. Não há uma causa. Mas, fazendo o trocadilho, há consequências. Ficar com o gosto amargo na boca, engolir a seco, ver o preço baixo que atribuem à nossa vida... Se tivermos a opção de mandar dar uma volta a estes agiotas de fato e gravata, de bata branca como verdadeiros talhantes que são, so be it. É preferível fumar menos uns cigarros, comer duas refeições por dia e vestir a mesma roupa durante anos, a arrastar a nossa dignidade, sem preço, pelas ruas desses matadouros modernos.

Acabei de ver um documentário sobre a Somália; não estou muito animada. Uma rapariga inglesa, modelo, nascida na Somália, resolve conhecer as suas origens. Antes da ida para o Reino Unido, viveu 2 anos num campo de refugiados. O que ela visitou, no documentário, tinha o tamanho de 700 campos de futebol. Na sua maioria, mulheres, 90% e crianças, em constante estado de sofrimento, abandono, fome, seca, medo, terror e... Estas histórias não são nossas desconhecidas. Ainda assim, penso: eu podia estar ali. Qualquer um de nós podia estar ali. Contrariamente ao que muitos gostam de pensar, nós não escolhemos onde nascemos. Muitas vezes, onde ou como morremos também não está nas nossas mãos. Mas como vivemos, para alguns de nós, sortudos, devo dizer, ainda está nas nossas mãos. Caso contrário, será como um rapaz Somali dizia: eu já estou morto. Tiraram-me tudo. Não posso ser ninguém. - triste...muito triste.

Com isto tudo, não sei bem o que dizer. Sei que não queria estar na Somália, sei que não queria estar na tua pele, sei que não queria fazer parte dessa junta. De repente, parece que não se está bem em nenhum lado. Hoje, 1 de Agosto de 2012, tenho esse poder, de escolher onde quero estar. Amanhã, sabe-se lá para aonde a vida me vai levar. Espero é que, seja hoje ou amanhã, tenhamos todos força, coragem e capacidade de escolher viver e não deixar que nos digam como viver. Eles dizem "salta", nós dizemos, "não, obrigado". Hoje não levam nada deste lado.

De lady magenta a 02.08.2012 às 21:01

E deste também não! Já tinha decidido à uns bons tempos, que a minha vida sou eu que rejo, segundo as minhas vontades e leis...O teu comentário, como sempre, Lindo...; )

De energia-a-mais a 02.08.2012 às 00:20

Compreendo essa tua maneira de ver as coisas - acredito que seja difícil ver a «quebra» física e mental dos que amamos e continuar consciente de ser o esteio de muitos...o amparo necessário. Mas não és de ferro e tens de procurar um equilíbrio, caso contrário desmoronas também. Força e muita saúde para enfrentares esse turbilhão que é a tua vida
Beijos


Teresa

De lady magenta a 02.08.2012 às 21:03

Obrigada Teresa...Por isso estou tão ansiosa que cheguem os mínguos dias de férias... ; )

De Margarida a 02.08.2012 às 14:59

Apenas devo conseguir imaginar uma infíma parte do que estejas a passar. Mas não te vás tu abaixo por te tentares manter sempre forte. Estravazar o que vai cá dentro alivia.
Um beijinho 'virtual' de coragem.

De lady magenta a 02.08.2012 às 21:12

E se extravazo!!! Mas tem dias que não chega...Um abraçinho "virtual"...; )

De momentosdisparatados a 02.08.2012 às 15:04


Sim tens  muita gente a quem dares força, então e tu?
Ninguém é de ferro...por vezes temos de deitar cá para fora o que está ali dentro do peito.
beijinho

De lady magenta a 02.08.2012 às 21:05

Pois temos...E também dessa necessidade, nasceu este blog...E ainda bem que nasceu, paraque fique quase tudo registado para mais tarde recordar...; )

Comentar post



Porque nem tudo o que luz é ouro e nem tudo o que brilha é prata...

Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Agosto 2012

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031



Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D