Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Ai a minha vida, ou o “Dolce non fare niente “...

por lady magenta, em 25.04.19

E chateia.

Chateia não ter nada para fazer, mas ter tanto para a dizer.

O pior é pegar no motor de arranque e fazer com que o que está para/por dizer, saia. E maça. E cansa que se farta.

E hoje comemora-se o dia em que muitos confundiram liberdade com libertinagem... e tanto mais há para dizer. E tanto podíamos fazer... Mas preferimos o marasmo de estarmos sempre a ser prejudicados. Acho que a isto não se chama capacidade de adaptação, mas sim comodismo. 

Vou ali... Continuar a curtir esta “condição de saúde”.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:52

Ai a minha vida, e uma analepse “sucinta”.

por lady magenta, em 24.04.19

Ora então cá estamos nós. Eu estou.

Este tempo que passou teve de tudo.

Novos projectos profissionais, novos caminhos, novos amigos, acidentes de carro, novas condições de saúde...Uma montanha russa tal, que até parecia a vida!

E foi. Foi o chegar ao auge da carreira, foi o ter de abdicar da profissão, da vida, dos amigos... Foi a loucura!

Diz que ambicionei demais, trabalhei demais, fui amiga demais, fui “chefe” demais, fui mulher demais... Mas se não fosse assim não tinha piada, porque por vezes temos de “take a walk on the wild side...”

E diz-se que o melhor está para vir...

(e se vissem agora o meu ar de escárnio e a revirar os olhos..)

Bom, o melhor para mim é reaprender a viver. (Este “assunto” fica para outro post)

Por grande “pressão” da minha “terapeuta”, fui coagida a recomeçar a escrever. Diz que é bom para a “limpar e exorcizar” a alma... 

E cá estou eu. 

Com pelo menos um post por dia.

Como forma de “terapia”... Porque o importante é falar sobre o que interessa... o resto, bem o resto é como eu digo: “ se não te acrescenta, não te faz falta...”

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:52

Ai que estou tão...

por lady magenta, em 14.10.15

 

 

sei lá.

Até podia ter alguma coisa a ver com o filme, mas não tem.

Primeiro porque esta pessoa viu o filme e não achou piada. Adiante.

Vou mudar de vida. Pois é pessoas. Farta de ir em carneiradas, farta sobretudo de trabalhar com pessoas cujo profissionalismo é igual a zero. Não dá. Pelo menos para mim, que acho que nos devemos entregar, ser profissionais, estar por inteiro no mínimo que façamos, como dizia o "tio" Fanocas.

Estou expectante, no entanto, já não tenho idade nem paciência para me deixar iludir.

Foi sem dúvida a entrevista mais longa e atípica que tive. Entrei literalmente a matar. "Olhem, eu tenho mau feitio, sofro de uma gravíssima incontinência verbal, portanto se me querem contratar eu sou assim..." E fui contratada. Na hora! Ainda fiquei na dúvida se não me iriam expulsar do local, ou chamar a segurança para me expulsar! Parece que estas pessoas são tão loucas quanto eu.

De resto, bem, de resto já tive de lidar com os olhares de soslaio dos ainda colegas e patrões, com as conversas à boca pequena, com a curiosidade encapotada de quem quer saber e nada sabe. O costume em pessoas cuja inteligência ficou na barriga das mães. Se querem saber perguntem. No entanto fica o aviso, só respondo se quiser.

E de maneiras que esta vida cá vai andando. Agora melhor.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:40

Ai a minha vida...

por lady magenta, em 12.09.15

E digam-me pessoas;

há lá coisa mais maravilhosa nesta vida, que andarmos felizes e descontraídos da nossa vida, a "tatarinhar" num local público qualquer, e andar uma criança histérica num berreiro infernal, a "tatarinhar" também?

(e eu como pessoa de excelente coração que sou, dou por mim a pensar, "se os teus paizinhos não te calam NESTE MOMENTO, juro, mas juro pela minha honra, que vou ali comprar fita cola larga e te amordaço!!!")

 

É só de mim que sou uma cabra sem sentimentos por petizes histéricos, ou mais alguém fica tão atacado dos nervos quanto eu ao ouvir crianças histéricas que nem nos deixam ouvir os nossos pensamentos?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:51

Ai a vida de todos...

por lady magenta, em 11.09.15

(Atenção! PC querido desta vida resolveu escrever sem acentos, pessoas analfabeta funcional como sou, não sei que botão premir para que eles retornem, desculpem lá qualquer coisinha.)

 

Não gosto muito de me envolver em polémicas.

Andar nas redes sociais a espalhar o "fundamentalismo" da linha de pensamento "EU SOU CONTRA A VINDA DE REFUGIADOS PARA O MEU PAIS", e assim uma coisa que me deixa os nervos muito atacados...

 

Ponto 1- Sei que a boa vontade dos nossos caríssimos governantes, não passa de mera estratégia politica. Diria mais, hipocrisia na sua mais pura essência.

Ponto 2- Temos efectivamente de começar por "arrumar" a nossa casa, e depois sim, acolher quem realmente precisa de ajuda. Mas os nossos evidentemente, deveriam estar primeiro.

Ponto 3- Poderia agora começar a desfiar o "rosário" de como fulano ou sicrano, ou ate eu um dia, necessitei de ajuda daqueles a quem pago o ordenado e me negaram, por não ser suficientemente pobre, ou não estar suficientemente andrajosa, ou não preencher os "requisitos" de pobreza impostos...

Ponto 4- Acredito que, como em tudo, naqueles grupos de refugiados, se misturem pessoas boas e pessoas menos boas. Como em todo o lado.

Ponto 5- Nos achamos que são fundamentalistas armados, preparados para nos matar e exterminar tudo e todos. Já pararam para pensar que seguindo certas linhas de pensamento, como por exemplo, "vamos as armas e matamos todos!" estamos a ser exactamente iguais a alguns deles?

Ponto 6- Também acredito que não a dar tudo de mão beijada, que estas pessoas irão conseguir chegar a lado nenhum. Se não tentarmos ensinar, educar, ninguém esta disposto a aprender, seja ideologia, profissão, o que for.

 

Eu deverei andar cá para ver o que esta "novela", ao bom estilo português, vai dar... Quanto muito vai dar muita dor de cabeça, a estes nossos governantes que querem tanto "parecer" bem na fotografia e invariavelmente acabam por "borrar" a pintura toda.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:26

O Kempo nesta vida...

por lady magenta, em 28.08.15

  O meu Sensei, Luis Tavarez, pediu para fazermos um vídeo a explicar o que o Kempo trouxe e significa para a nossa vida. Bem, não sou muito boa nestas coisas de vídeos, até porque, para alguém que sofre de uma extrema incontinência verbal, fazer um vídeo significa ter muito trabalho na edição, e muito “piiiiii” à mistura, lol

 

O que vos posso dizer...

  O Kempo entrou na minha vida pela mão dos meus ricos filhos. Primeiro eles, depois o Senhor marido... Ao inicio achava aquilo uma descarga de testosterona, ricos filhos e marido ,ali, largados no meio do Dojo a levarem porradinhas com fartura... Primeiro estranha-se, depois entranha-se... Com o passar do tempo, achei que devia experimentar. Porque não? Apesar das limitações físicas, apesar das dores constantes, apesar do Lúpus... Porque não? Arrisquei e lá fui eu! O primeiro treino acabou comigo, confesso...Descobri músculos que nem sabia que tinha! Ah, pois pessoas... Depois, bem depois foi uma questão de determinação e atitude. Como para tudo na vida. Apesar de ser uma das mais velhas dentro do Dojo, não me considero menos capaz. Pelo contrário. Se eles conseguem, eu também hei-de conseguir! E consigo. Óbvio que há dias em que eles tentam ensinar, e a minha cabeça e corpo teimam em não seguir o ritmo imposto... Se é difícil? É. O Kempo não é para fracos! Experimentem, com o corpo dorido e a coluna cheia de próteses “encher” 50 flexões sem parar...é o desespero. Mas quando temos determinação e atitude, só não faz quem não está disposto a fazer. Além da auto estima ao rubro, o meu corpo mudou. As dores aguentam-se melhor, a cabeça está mais focada. O Kempo é isso tudo e muito mais. Para mim não é apenas uma arte marcial. É um estilo de vida, é o respeito ao próximo, é a superação.

Foco, força e fé.

 

Aos meus colegas, e ao Sensei, só tenho a agradecer por tudo, e pedir paciência...Não aprendo ao ritmo deles, mas vou chegar onde eles chegam...

 

Para os que ficaram curiosos, e queiram ver o que é o Kempo, estamos às 3ªs e 5ªs entre as 19:15h e as 21h. Na Avª Cidade de Luanda nº35, 1800 Olivais Sul, Lisboa. Apareçam e mudem a vossa vida!

OSS

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:54

Esta pessoa,

por lady magenta, em 30.07.15

 

odeia despedidas.

Sejam elas porque motivo for.

Umas mais emotivas, outras nem por isso.

Por vezes é bom despedirmo-nos do que não nos faz bem, por este ou outro motivo, mas não é dessas despedidas que falo. Falo daquelas que nos tocam a alma, por sabermos que o que era, nunca mais vai tornar a ser. Essas são as despedidas tramadas. Aquelas em que mesmo que digamos, "Até já pá!", nos deixam os olhos marejados de lágrimas. Mesmo que isso signifique que, a pessoa de quem nos despedimos, está a seguir em frente. 

(Mesmo, mesmo, acho que é pelo facto de saber que fui a alavanca impulsionadora do tal "seguir em frente", estou orgulhosa claro, muito orgulhosa de ver esta pessoa, sem medo a correr atrás de um sonho...Mas fico com pena de o deixar ir...) 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:01

Ai as mulheres...

por lady magenta, em 26.07.15

Como alguém disse, "As mulheres são fáceis de entender. Como um livro de física quântica em mandarim!". Desculpem, mas por vezes tenho de concordar. Algumas de nós, temos um raciocínio lógico, tão pessoal, que está entranhado no ADN de cada uma, e por mais que tentemos explicar, não dá. É só para nós, e só nós temos a solução para tal enigma!

Nem sempre as relações correm bem. Normalmente tendo a não julgar. Se algo está mal entre duas pessoas, são ambas culpadas. E não me venham com a teoria que há homens ruins, também há mulheres. Por vezes bem piores que os tais homens ruins.

O que ainda não consegui entender, foi porque aguentam. E além de aguentarem, ainda se expõem ao ridículo de, quando descobrem, por exemplo, a traição do companheiro, perguntarem a pessoas muito próximas, se soubessem quem era a "traidora" contavam.

Oh "migas", então mas está claro que não! (desde que, obviamente, a coisa não entrasse em conflito com os valores morais que acho que ainda possuo...descutivel este "urgumento", portanto...)

Hoje tive o desprazer de assistir em primeira fila a uma cena tão, mas tão deprimente... Até que ponto somos capazes de baixar a fasquia do nosso amor próprio...

Estava com alguém, que sabe à mais de um ano, que o companheiro a trai. Como se não bastasse, continuam a comungar e a partilhar um tecto e paredes(WTF???), pois.

Já dei a minha opinião, um Zilhão de vezes, porque ma pediram. (Normalmente neste tipo de assuntos, guardo para mim.)

E a bela da "gaiata" sai-se com a pérola, "Se soubesses quem era não me contavas?"

Oh "môr", pois está claro que não!

Então mas agora eu lá tenho ar de arauto da desgraça?

E ainda ficou ofendida por dizer isto.

Sabem que mais, uma mulher ressabiada é 1.000.000 de vezes pior que uma guerra nuclear. Descemos o pé ao chinelo, vamos de mão na anca, queremos sangue, muito sangue a escorrer pela valeta. Só nos esquecemos do mais importante. Pesar tudo muito bem pesado, e tentar perceber porque correu mal. E não venham daí dizer, "Ah e tal ele traiu  e mais não sei quê!"

Sim traiu. É culpado.

É um canalha.

Sim, provavelmente.

Deveria ter-se comportado como um adulto e conversar com a companheira, expor o que "amargurava" o seu "coração", (e sexo quiçá!), sem dúvida nenhuma!

Mas daí até a "moça" andar a fazer perseguições, armada em inspector Gadget a tentar "hackear" os telefones do Sr. e o PC...Give me a break...

Cheguei à conclusão que, o que nos falta nas relações não é amor, não é sexo do bom, não é companheirismo...

É tão somente, COMUNICAÇÃO.

E eu tenho para mim, que certos problemas dos outros, me deixam os nervos muito atacados...

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:07

Sinto-me...

por lady magenta, em 25.07.15

 

um Espécie em vias de extinção, quando entro no balneário do ginásio, cumprimento as pessoas presentes e ABSOLUTAMENTE ninguém responde.

Será de mim, ou será das pessoas?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:16

As cenas desta vida...(Parte I)

por lady magenta, em 24.07.15

 

Let's begin!

(Ou coisas chatas que ninguém lê, mas que é sempre bom "botar cá para fora"...)

 

Esta pessoa foi operada, again, diz que tinha um tumor num ovário, vejam bem com tanto corpo para crescer e o magano logo tinha de crescer ali! Descoberto por mero acaso, já que a intenção era acabar duma vez por todas com as tubagens desobstruídas, e obstrui-las, claro está... Foi a tempo que o vimos. (Pela conversa da equipa fatalista, se tivesse esperado mais uns meses, como era minha intenção, por esta altura já cá não andaria...)

Sou uma sortuda eu sei.

Só que não.

Depois de tanta provação, lá vem a merda da vida brincar com uma pessoa. "Ah e tal...Achas que já chega de cabelos brancos e dores no ? Então toma lá mais umas quantas razões para virares a noite em branco!" The story of my life...

Mas foi divertido, juro. Foi a única vez que dei conta de entrar num bloco, acordada, pelo meu pé, a brincar e a contar piadas como se estivéssemos na esplanada, acho que a equipa estava solidária comigo, "Ah e tal, vamos abrir esta barriga...E depois logo se vê..." 

Afinal o que encontraram, foi exactamente o que estavam à espera. Um tumor encapsulado, o fofo, qual bomba relógio à espera de acordar e explodir comigo! Só que não.

Olha 'ca porra! Então não me bastava as doenças dos outros, e agora ainda tinha eu que ficar doente? Isso é que era bom! Não, não , não... Quero mais é que esse tumor armado em tumor se escafeda da minha vida para fora! E foi o que ele fez!

Claro está, que nunca tinha feito tanta análise seguida, ecografia, e tanto medicamento junto. Isto tudo durante os próximos 5 anos. Vá, 4 anos e meio, que meio ano já passou...Sem sobressaltos.

Ah e claro... Um dos pontos que levei, bem nas profundezas do umbigo, ainda cá mora para contar a história! (Obviamente que não esperava outra coisa! Ou queriam que fosse tudo fácil?)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:33


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D