Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


O "câncaro", o meu pai e eu...

por lady magenta, em 14.02.12

 

 

E cá andam estas vidas...

E de maneiras que o Dr. que acompanha o meu pai acha que ele é um herói...Por aguentar tanto em tão pouco tempo.

E nós, mesmo sem querer somos heróis forçados...Por termos de lidar com tudo isto, sem escapatória possível...E é tudo tão deprimente e mau.

Cada dia que passa definhas um pouco mais, o teu discurso é cada vez mais confuso, a tua cabeça já não te faz as vontades, tem vontade própria.

Um dia arrancas o saco da fístula permanente, noutro cais para o chão e bates com a cabeça, noutro ainda pedes à tua "marida" para jogar contigo à bola...Isto tudo resumido para dizer que o inevitável está a acontecer...

Não é bonito nem saudável.

Ter de pensar sequer na hipótese de te internar num centro de cuidados paliativos, que os há, é simplesmente aterrador...Só ter de equacionar a hipótese, é algo que por si só me revolta as entranhas...

Sabes pai, hoje é um daqueles dias em que sinto mesmo a tua falta...Porque o pai que eu conheci, já partiu...Este que ficou é simplesmente a sua sombra...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:06


30 comentários

De aquela a 14.02.2012 às 21:20

O tempo fará o melhor.

De lady magenta a 14.02.2012 às 22:24

Há-de fazer sim...O pior é ter de lidar com tanto,num curto espaço de tempo...; )

De artesaoocioso a 15.02.2012 às 00:20

È dramático. A morte é caprichosa, umas vezes, sádica, outras e somos impotentes para lutar com Ela.
Decide sempre como quer.
Desculpe o discurso frio, desapaixonado mas como o Meu dia não será muito distante, o meu olhar para a vida também mudou.
Cumprimentos.

De lady magenta a 15.02.2012 às 10:06

Não tenho porque desculpar, a vida é mesmo isto...No fundo o drama real, reside no facto de sermos impontentes contra o facto de pura e simplesmente, lutarmos uma batalha tão desigual...O que nos resta? Fazer o melhor e aproveitar o que temos...Um beijinho...; )

De Margarida a 15.02.2012 às 10:35

Queria comentar algo, mas, na verdade nem sei o que dizer. Quando nos sentimos impotentes perante o rumo das coisas, pouco mais há a fazer do que tentar arranjar forças para aceitar e enfrentar o que temos pela frente sem deixar que a nossa própria vida desabe à nossa volta.

De lady magenta a 15.02.2012 às 13:03

E que razão tem a Margarida no que diz...é uma luta, pior, uma batalha bem frustrante e cansativa...Não precisa dizer nada, às vezes o consolo também se encontra nos silêncios...Obrigada ; )


 

De V.P. a 15.02.2012 às 11:47

sabes o que me apavora mais nestas doenças?
o sofrimento que muitos doentes têm, em vão.

outra coisa que me incomoda é o sentimento de impotência sentido pelos familiares que realmente se importam com a pessoa em questão.
é que uma pessoa quer fazer tudo e mais alguma coisa para ajudar e não tem poder nenhum para tal.
é triste e extremamente frustrante :(
deixo um beijinho de alento, porque infelizmente, mais não posso fazer.
Image Muita coragem para todos vós.

De lady magenta a 15.02.2012 às 13:04

Obrigada V...Tens muita razão, é como a psicologa que me segue diz, vai chegar a uma altura em que serei vencida pelo cansaço, por mais dura que seja a minha vontade...Obrigada pelas palavras de conforto. ; )

De golimix a 15.02.2012 às 13:21

Não entendo o porquê de tanto sofrimento...
Sem saber o que lhe dizer para lhe aliviar a dor,  junto-me a si e compartilho do sentimento de ver um pai que já não é o mesmo e que vive somente na sua sombra, a palavra para esta sombra não existe, porque ainda não tem nome, só tem dor, incerteza, médicos, exames, medicamentos que enterram a pessoa que existiu...
Porquê tanto sofrimento?
A raiva não resulta, a desespero ainda menos. Aceitar, partilhar, e viver devagarinho cada dia como se fosse o último... enfiar a dor num saco e fechá-lo com uma fita, vestir o coração com uma capa dura que não deixe entrar a tristeza e deixe sair a ternura... e enfrentar o que vier e aprender com isso, por muito que custe.
Beijinhos enormes para vocês. E um abraço apertadinho Image

PS- compreendo a negação em relação aos cuidados paliativos, mas pode fazê-lo para descanso do cuidador durante 30 dias. São bem tratados e carinho também não falta e claro pode visitá-lo sempre. Embora saibamos que lhes faltarão as referências de quem amam e do seu lar...decisão muito difícil...

De lady magenta a 15.02.2012 às 14:01

Olá Golimix ...é tudo o que disse e muito, muito mais...Enfim.
Os cuidados paliativos não me afligem, até porque no meio desta tormenta, tivemos a sorte de encontrar duas equipas com verdadeiros profissionais e, pessoas fantásticas...O que me assusta, é o facto de, ao ter de o internar numa instituição desse cariz, a realidade me seja esfregada na cara e, venha à tona o facto de o ter de deixar partir...E isso, no meio desta balbúrdia toda, é exactamente o que me está a ser mais dificil de encarar...Ele vai ter de partir, mas e deixá-lo ir? Não estou preparada...Não ainda. Mesmo assistindo impotente, à sua degradação diária...Ele tem sido um herói, porque no fundo sente que ainda faz muita falta a todos...
Obrigada pelo carinho ; )

De golimix a 15.02.2012 às 19:00

Eles não partem. Ausentam-se temporariamente.
Bjinho

De lady magenta a 15.02.2012 às 22:09


Oh Golimix, queria tanto acreditar nisso...; )

p.s- duma forma ou doutra, o meu pai só desaparecerá quando o deixar...para mim ele vai ser eterno.

De eu ando às voltas a 15.02.2012 às 17:31

Sei bem o que estás a passar, e ao ler este post, preferia estrear-me a comentar outro, relembro nessas palavras algo que vivi à 22 anos. Vivi cedo demais, aprendi cedo demais que a vida é ingrata e efemera. Não é "pecado" nenhum procurar um lugar onde os cuidados possam ser os melhores para ele nesta fase. Sim revolta-nos, mas chega-se a uma  altura que nós nem temos capacidades fisicas e mentais, nem práticas para atenuar toda a dor que a outra pessoa passa. Aprendi cedo demais, quer isso, quer desejar que tudo acabe depressa para a outra pessoa não sofrer mais pode ser um acto de amor. É um desejo que ainda hoje me amargura a vida.

De lady magenta a 15.02.2012 às 18:38

Olá...E ainda hoje te sentes atormentado com essa ideia...Credo...Como é que se consegue continuar a viver depois do fim? Obrigada pelas tuas palavras...Ao menos já não me sinto tão só.
; )

De eu ando às voltas a 15.02.2012 às 21:40

Nunca se está preparado para a perda, mesmo estando ela anunciada e nós mentalizados. Não deixa de ser também um alívio para quem acompanha e sente, ver que a pessoa já não sofre. Claro que me arrependo do pensamento que tive, sendo que a minha mãe faleceu no dia seguinte. Não deveria ter tido, mas simplesmente estava a perceber o que ia acontecer e ver sofrer doi. Por isso compreendo bem o que estás a passar e que todos os pensamentos que passam pela cabeça são normais e nem podem ser criticados.

De lady magenta a 15.02.2012 às 21:56

Não nunca estamos preparados...E sim, tens razão quando dizes que desejarmos que chegue o fim, não é um sentimento anormal, é sim o querer que o sofrimento cesse...Mais uma vez Obrigada pelo apoio ; )

De eu ando às voltas a 15.02.2012 às 22:00

Por vezes +ensamos que somos o unicos a pensar estas coisas, tentei com a minha experiencia mostrar que, infelizmente é tudo normal, dadas as circunstâncias.
Força e aproveita todo o tempo que puderes.

De lady magenta a 15.02.2012 às 22:14


É o que estou a fazer...Estar presente sempre, aproveitar tudo, o bom e o mau. Para um dia não ficar a mágoa que ficou algo por fazer ou dizer...E ao menos o cancro do meu pai já mo permitiu, dizer tudo o que não tinha tido tempo e fazê-lo ver que quando tiver de partir, a sua filha guerreira e de edição limitada, aprendeu na perfeição tudo o que o pai lhe ensinou...O legado dele irá perdurar....; )

De eu ando às voltas a 16.02.2012 às 15:29

Fazes bem, apesar de na altura ser novo, tive de crescer muito rápido e com a consciencia de dever cumprido.

De Lara a 15.02.2012 às 18:56

Perdi duas das pessoas mais importantes da minha vida de forma dramática, e ainda assim, estupidamente, não sei o que dizer.

O meu coração está convosco.

Beijinhos

De lady magenta a 15.02.2012 às 22:08


Nem precisas dizer nada Lara...Eu sei o que vai nessa cabeça linda...; )

De nickonome a 15.02.2012 às 21:13

Olá!
Gostava de visitar o teu blog para deixar um qualquer comentário sem nexo... ou até apimentado a fugir para magenta...
Estive para não comentar em virtude de a tua dor me provocar arrepios e ia mesmo dar o clique de saída quando me veio à mente a palavra COBARDE. Assim, desafio-te a não seres cobarde - como eu ia sendo -; agarra o touro pelos cornos
e diz-lhe que és dona das tuas emoções! Diz-lhe que há uma esperança: esta vida são dois dias e o paraíso será eterno! Então, visualiza o teu pai no paraíso em total conforto e harmonia e mentaliza-te que ele deve partir quanto antes para que termine o seu sofrimento.

De lady magenta a 15.02.2012 às 22:06


Olá AG...Não penses que sou cobarde, ou elhor, se é isso que pensas, lamento mas sobrestimaste-me...Se fosse cobarde, ou se estivesse a sê-lo, à muito que tinha fugido e, olha que vontade não me falta...Se por vezes digo que não quero que o meu pai morra comigo ao lado, mais um engano, espero estar com ele em todos os momentos, como estive até agora...Se todos os dias peço para que isto acabe? Peço...Muitas vezes por dia. Não por não querer passar por isto, mas sim para que o guerreiro que o meu pai, tenha finalmente descanso...Achas que estou a ser dura? Garanto-te que a única coisa que acabei de ser, foi sincera. E sim, visualizo-o constantemente no seu paraíso...Rodeado de mulheres bonitas, com tabuleiros de damas clássicas para jogar à vontade e a savana africana como pano de fundo...Se estou mentalizada? Vou estando. Olha AG, obrigada pelo comentário, ainda bem que o fizes-te, porque é sempre bom levarmos estes "abanões" para deitarmos para fora o que só pensamos...; )

De nickonome a 15.02.2012 às 22:16

ImageDesabafar fez-te bem! Ainda bem que desabafaste. Mas acho que fui um poucochinho mal interpretado; embora, pelos vistos, não devesse ter utilizado a palavra "cobarde"... acontece! Desculpa.
Abraço

De lady magenta a 15.02.2012 às 22:25


Nop...não foste mal interpretado, muito embora, escrever nos possa trazer muito disto... Ecrevemos com um sentido, quem lê interpreta de outra forma...é tudo uma questão de perspectiva. Usa e abusa da palavra cobarde, até porque hoje ainda não chorei, apesar de já ter tido muita vontade...O que fizes-te foi apenas "espicaçar" a fera que há em mim, ou não fosse eu leoa! Sê duro quando achares que tens de ser, afinal e parafraseando-te, a vida são dois dias e o paraíso é eterno, logo, não deixes nada por dizer nem fazer...; ) Obrigada pelo "despertar" e, não temas porque não levei, nem levo a mal palavras mais duras...

De nickonome a 15.02.2012 às 22:41

Ok! Sinto-te mais aliviada e eu também. É duro, mas sê forte.

De lady magenta a 15.02.2012 às 22:49


Posso não ser, mas ao menos tento. E quando for visitar os Açores pagas uma bejeca, boa? ; )

De Fátima Soares a 16.02.2012 às 11:39

Desculpa vir só agora mas já sabes que também vivi já duas vezes e outras que menos próximo mas familiares. Se for as fazer umas contas macabras direi que ele está a ganhar se me levou um tio do lado do pai e a avó materna e deixou-me o pai que conseguiu sobreviver-lhe. Agora tenho uma mãe que perde sangue, está idosa e eu própria que não sei ou saberei tendo trabalhado num hospital que devia fazer um exame que ainda não fiz e o meu irmão já descartou porque fez e está tudo bem... Talvez eu seja uma cobarde e anormal porque não o faço, ou talvez seja lúcida e suicida porque sei que talvez a próxima premiada seja eu, o sinta... Enfim minha querida amiga. Só quem vê quem está todos os dias à acebeceira . Eu tive o meu pai internado e operado no serviço de cirurgia onde eu trabalhava, a ouvir médicos a falarem comigo e a estar às 7 da manhã já à cabeceira dele, a lavar roupa que enfim... e a fazer-lhe a barba, a dar comer a ajudar e a chorar em segredo ou em conjunto, só quem vive é que pode dar valor e tenho um desgosto enrme que o teu pai esteja a perder essa batalha poue se vi o meu pai ganhá-la vi também a minha avó perdê-la e jamais ficamos iguais. Perdoa se me alonguei ou fui estúpida mas só queria dar-te força e a ele também um grande beijinho e abraço porque está a travar a luta mais desumana e inglória desta vida e para se viver não era preciso isto no tempo em que se devia ter mais paz morre-se assim por isso vida é uma megera e pode ter muito de bom mas eu não lhe perdoo. Um abraço imenso para ti e outro para ele. E desculpa-me por ter desabafado assim. no teu blog. Perdoa Um beijinho

De lady magenta a 16.02.2012 às 11:56


Desabafa sempre Verniz...Ao menos não me sinto tão só...; )

De momentosdisparatados a 20.02.2012 às 18:34


Imagino que não seja fácil pensar no internamento.
Por um lado ele irá certamente sofrer menos pois estão com profissionais, por outro é o ficar "longe" das pessoas que gostam dele.
"Porra " de vida!
Muita força para decidirem o melhor.

Comentar post



Porque nem tudo o que luz é ouro e nem tudo o que brilha é prata...

Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Fevereiro 2012

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
26272829



Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D