Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



O "câncaro", o meu pai e eu...

por lady magenta, em 07.06.12

 

 

É verdade...O meu pai ainda cá está.

Num sofrimento terrível...De ver e viver.

Por alguma razão, por nós desconhecida, ele ainda tem força para dar porrada no cancro que o consome desde à nove meses...Ou mais.

Por alguma razão, trocou as voltas aos médicos que o seguem, e deixou perplexos, uma equipa de profissionais, por ter ainda força, por resistir, quando a esperança de vida seriam uns meros três meses...

Enfim...

Passaram nove meses, que achei serem impossíveis de concretizar...À algum tempo que deixei de contar os dias...Não me interessa quantos são. Interessa que se o meu pai continua cá, é porque tem alma de guerreiro...

E cheguei à conclusão que o meu pai nunca irá morrer...O corpo, carcomido pelo cancro irá desaparecer, mas o meu pai, jamais irá desaparecer...

Ele vai perdurar em mim, na minha irmã, nos nossos filhos...Nas nossas memórias, nos trejeitos que lhe aprendemos...Em tanta coisa.

E tive de dar a mão à palmatória, e reconhecer que sim...Sou mesmo filha do meu pai! Em certas expressões que uso, como por exemplo, "vai lamber sabão" ou ainda " vai comer ovas de cão", na forma como conduzo, no facto de ter alergia a torneiras a pingar...Em tanta coisa...

...

Acabei de ler um livro, "Morrer é só não ser visto", com exemplos de quem passou por más experiências com a morte...Li, absorvi, mas não fiquei convencida com tudo...Talvez por ter ainda a pulular uma veia céptica...

Tenho uma forma, minha, exclusiva, de encarar tudo isto...Odeio que me façam muitas perguntas, que me obriguem a entrar em detalhes sórdidos...Não gosto quando me dizem, " ele hoje está muito queixoso" ou "cada vez tem mais mau ar...",(A sério???? está a morrer boa!!! tem um tumor que o mata, literalmente à fome...) Odeio. Odeio ter de puxar pela cabeça e pensar que ninguém merece morrer assim...Sim o meu pai está na recta final, contra um tumor que o está a matar da pior forma possível...É a realidade. Não vale a pena dourar a pílula...Já me custou mais a admitir...Uma coisa é certa, o meu pai só vai morrer, para mim, quando eu o esquecer e deixar de lhe honrar a memória...

Não é o facto de ele morrer que me indigna, é o facto de ele ter de morrer assim...Ninguém merece. Muito menos o meu pai...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:29


2 comentários

De momentosdisparatados a 08.06.2012 às 08:17


Até há cerca de 4 anos eu achava que tudo era preferivel do que morrer, hoje passado esses anos já assim não penso.É impossivel pensar assim quando se vê tanto sofrimento.
Ainda que eu morra de medo da morte.
A minha profissão fez-me ver as coisas de outra forma.
Um beijinho

De lady magenta a 08.06.2012 às 12:34

Isto já não é viver...É um vegetar vivo e quase consciente...É o pensar nos malabarismos que a morte nos faz ainda em vida...Enfim...
Obrigada pelo beijinho...; )

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D