Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


Que titulo?

por lady magenta, em 09.09.12

 

 

Este fica sem titulo.

Sem parangonas. Sem destaque.

Porque não irá passar de um desabafo, de quem, está mais do que cansada...Se existir algo, entre a loucura e o cansaço, deve ser por aí que me encontro.

Odeio cobranças, sejam de que carácter for. Odeio ainda mais utilizar a palavra odeio, é feia e de péssimo gosto. Odeio cobranças infundadas, quando tanto tempo passou e, o irremediável está "remediado"...

Vou situar-vos;

Algures no ano de 1995, Agosto, nasceu o meu adorado filho mais velho. Hoje com 17 anos. Está a lidar e a sofrer com a iminente perda do pai e avô, nas mãos de uma doença terrível, o cancro...

O pai dele foi o pai possível, ausente, descomprometido, louco pela vida...Mas a dele.

Não aceito, nem entendo e, se querem saber, faço mesmo questão de me estar a borrifar, para o facto de mentes microscópicas, acharem que ele tem de estar junto ao leito de morte do pai, diariamente, sem falhar uma única visita...

Desculpem o meu pragmatismo, mas não tem.

Não tem porque à maneira dele, está a processar toda esta informação, que o fará, infelizmente, amadurecer e sofrer...Porque o fará, sem qualquer margem de dúvida, uma pessoa melhor, um homem melhor e, nisto eu não acredito, tenho a certeza.

Que lição retiraria ele do facto de actuar neste espectáculo, que é presenciar um doente em fase terminal e, acreditem, é dos cenários mais dantescos e horríveis, a que podemos assistir. Nenhuma digo eu. Provocar-lhe-ia mais sofrimento, desnecessário, no meu entender. Não sou perfeita, nem tão pouco dona da razão. Não baseio as minhas opiniões em factos empíricos. Baseio-as naquilo que me torna uma pessoa melhor, o meu instinto de mãe.

Ainda ontem fiz uma espécie de ultimato ao meu filho, "saí de casa, diverte-te, ri-te, goza a vida como se não houvesse amanhã...Porque quando isto acabar, teremos mais que tempo para chorar e lamber a feridas..."

Posso estar errada, mas esta é a minha posição. E pudesse eu, já teria levado os meus filhos para longe, para não terem de assistir a este triste espectáculo!

O meu filho não tem de ser obrigado a visitar o pai... O meu filho deve sentir que tem de estar presente, quando já o fez noutras ocasiões.

Agora é tempo de seguir em frente, e prepara o corpo e alma para a hecatombe que se aproxima...Pode ser que assim ganhemos forças para não nos deixarmos estar muito tempo no abismo...

Odeio cobranças... Ainda para mais, quando se baseiam em puros actos de egoísmo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:14


3 comentários

De energia-a-mais a 09.09.2012 às 23:46

Pois eu acho que estás coberta de razão. O luto de cada um é pessoal e intransmissível e o teu filho lidará com essa dor sentindo o teu apoio. 
Beijos e um grande abraço


Teresa

De Sónia Pinto a 13.09.2012 às 17:15

Não é preciso dar-te razão porque a razão é própria de quem a sente, de quem a vive. Sei bem do que falas, porque já vivi essa mesma razão. Temos de fazer o luto como e quando o nosso coração manda. Como diz alguem que tão bem escreve, "temos de deixar o nosso coração doer na esperança dele se cansar". Abraço.

De Brown Eyes a 13.09.2012 às 23:25

Sem dúvida nenhuma....tens toda a razão!

Comentar post



Porque nem tudo o que luz é ouro e nem tudo o que brilha é prata...

Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Setembro 2012

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30



Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D