Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



O "câncaro", essa doença malvada...

por lady magenta, em 21.09.12

E cá continuamos nesta vida, com estas coisas "maravilhosas", que esta doença "fantástica" nos trouxe...

 

Vejamos então, os acontecimentos dos últimos dias;

 

o meu pai caiu da sanita, atribuiu a culpa à minha mãe. "Foi ela que me empurrou!"...

 

o meu filho mais novo, diz que se calhar, o avô não está bom da cabeça...Porque quer que o comando da TV funcione, mas sem o infravermelho virado para a TV...

 

o meu pai acha que eu sou a minha irmã, repete vezes sem conta o nome dela, e não sabe dizer o meu nome...

 

a minha mãe resolveu ter um fanico no meio da rua, teve de ser transportada a casa pelos vizinhos...

 

eu resolvi ir fazer uma pequena cirurgia, sozinha, e quando saí do hospital, aparentemente bem, senti-me mal, tão mal, que andei durante uma hora a dormir dentro de um autocarro!!! (quando cheguei ao destino, mal conseguia andar, mas cheguei a casa...)

 

Depois existem ainda coisas mais fantásticas, como o facto de o meu pai se conseguir levantar por artes mágicas sozinhos e, andar a despir-se pela casa, deixando por exemplo, a fralda na banheira e o resto da roupa por onde calha...

Ou ainda, o facto de arrastar tanto as palavras, que para o entendermos, primeiro gravamos o que diz em "slow motion", e depois passamos a gravação em "fast forward"...

Há ainda o facto extraordinário de o meu filho mais velho estar a reagir à morte do pai como uma espécie de adulto, o que me faz muita confusão, porque aos meus olhos ele continua a ser o menino loirinho, que canta o "poquinho cameu uma belota"....

...

Não sei se é de propósito ou não, mas até certas pessoas chegadas a mim, dizem que estou fria e mais arrogante...(Amigos, não é por mal, é mesmo de propósito...)

Só tenho mais uma coisa a escrever, se alguns de vós, que me conhecem, que privam comigo, ou então, que conhecem quem esteja a passar pelo mesmo que nós e tenham atitudes idênticas, façam um favor a vós próprios...Levantem os olhos dos vosso "umbigos" e pensem bem, se conseguiriam viver esta vida maravilhosa, agrilhoados desta maneira e a viver a verdadeira prisão domiciliária...

Como vêm pelo meu relato, destes últimos dias, nem tudo é mau na doença cancro, também temos momentos em que o choro é trocado por gargalhadas monumentais, porque temos muito tempo pela frente para chorar....

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:50


2 comentários

De M a 22.09.2012 às 03:20

Não tenho palavras, mas, estou aqui.
Um beijinho grande para vocês todos.
(ainda não consegui ouvir a entrevista, esta coisa de ser emigrante tem disto).
M

De lady magenta a 22.09.2012 às 11:56


Olá M, o podcast, e o link estão aqui no blog, é só aceder e ouvir no computador...Força para esta "nossa" luta... ; )

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D