Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Adeus Pai...

por lady magenta, em 08.12.12

Que agora, o guerreiro que existiu em ti, finalmente descanse em paz...

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:28

Esta coisa do luto...

por lady magenta, em 24.09.12

 

 

O meu filho gosta de escrever para o pai. Gosta de lhe ir dar os bons dias e as boas noites antes de dormir. Gosta de escrever sobre ele, das coisas que partilharam, da falta que lhe faz, do que poderia ter sido e não chegou a ser...

O meu filho está a sofrer...E eu continuo aqui perdida, sem saber como lidar com isto, com ele...

...

Acho que o instinto maternal também tem destas coisas, por vezes temos de nos sentir perdidos, para depois de ganharmos forças, sabermos como agir...

Mas dói pessoas, dói tanto que às vezes não sei o que é pior...Ele estar a sofrer por o pai ter morrido, ou estar a sofrer por não ter tido mais tempo, como teve nos últimos dois anos, para saber o que era ter pai...

...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:21

O "câncaro", o meu filho e o pai...

por lady magenta, em 31.08.12
 
ÍDOLO DE UMA VIDA!
por Rui Monteiro a Sexta-feira, 31 de Agosto de 2012 às 3:09 ·

 
 
 

Pai.. isto é aquilo que eu tanto te quero dizer.. mas não tenho coragem nem para metade.. então, fica por escrito.. sei que não irás ler pela tua condição do momento, mas quem sabe se não a irei ler-te antes de algo acontecer..Já lá vão 17 anos.. sim, é verdade, 17 anos.. o tempo passa a voar.. não estiveste presente em muitas ocasiões.. não estiveste presente quando o meu 1º dente me caiu.. não estiveste presente quando eu parti a cabeça.. não estiveste presente à medida que eu ia construindo o meu sucesso escolar.. não estiveste presente em maior parte das coisas boas e coisas más.. mas não faz mal.. eu perdoo-te.. e além de te perdoar, continuo a olhar-te com orgulho.. porque continuas o meu ídolo..Já estou a ficar velhinho para fazer birrinhas.. e muito mais nos tempos dificeis em que estamos.. mas se havia coisa que eu gostava, era quando me chamavas à atenção de forma algo brutesca depois de uma birrinha minha, e passado uns minutos me davas um miminho e uma palavrinha de conforto.. não foste perfeito.. tiveste muitos problemas ao longo do teu caminho.. mas sempre os enfrentaste com um sorriso no rosto.. apesar de todos os teus defeitos, sempre foste uma pessoa maravilhosa.. sempre pronta a ajudar o seu amigo, e acho que foi de ti que eu herdei este coração bondoso. Muitas das vezes, as pessoas aproveitaram-se da tua bondade, e apunhalaram-te pelas costas.. mas apesar disso, nunca deixaste de lhes estender o braço uma segunda, terceira ou quarta vez.. nunca ligaste se te iriam apunhalar novamente.. apenas estiveste sempre pronto a ajudar.. Mas sempre tiveste problemas.. eram constantes as discussões entre ti e a avó, eram constantes as discussões entre ti e a mãe enquanto estiveram juntos.. mas nunca descoraste.. cometeste muitos erros na vida, erros fulcrais aqui e ali, por vezes viravas as pessoas contra ti pelo que fazias, mas se há algo de bom que fizeste e de que todos se devem orgulhar.. foi trazeres alguém ao mundo.. EU! E o meu maior desejo é que um dia venha a ser metade da pessoa que tu foste!Tal como tu, não sou perfeito.. tenho defeitos enormes, que me podem vir a custar caro no futuro, discuto com tudo e todos, estou na idade das parvoíces e sinto-me revoltado com o mundo.. mas se há coisa boa que herdei, foi o teu grande coração..Natal de 2008.. já não te deves lembrar.. foi um gesto pequeno da tua parte, mas eu jamais esquecerei.. deste-me o Kit Sócio do Benfica.. lembras-te? Fiquei tão chateado quando soube que era aquilo e não o jogo que eu queria.. mas apesar disso, fiquei muito feliz.. fiquei feliz porque pela primeira vez na vida senti-te presente na minha vida.. senti que irias dar tudo por mim e senti que finalmente seriamos pai e filho.. Natal de 2009, lembras-te? Calhou a Playstation 3.. andei meses e meses a chatear-te que queria uma.. e cheguei mesmo a julgar que não a irias comprar.. sempre me disseste que ficava para a próxima.. e comecei a desanimar.. deixei de acreditar que tinhas mudado e que irias ser o pai que tanto quis.. mas não.. prometeste e cumpriste! Custou mas foi.. demorou mas chegou! Foi provavelmente o dia mais feliz da minha vida.. não pela consola, não nada disso, mas pelo gesto.. já me tinham dado tantas coisas, e algumas coisas com bem mais valor que isto.. mas aquilo que eu tanto desejava, ter-me sido dada por ti.. foi talvez a cereja no topo do bolo.. E não parou por aqui.. a partir dai, começaram a ser mais frequentes os gestos.. presentes, estares em casa para estares comigo etc etc.E por isso, te agradeço muito.. posso dizer que por tempos, tive o pai que sempre desejei.. não perfeito, mas foi o que tive.. e agradeço por isso..Abril de 2011.. o ano que marcou a minha vida.. e foi neste mês que se descobriu o que iria ser a tua perdição.. Tiveste uns tempos doente, andavas a passar um mau bocado e foste ao hospital.. quando liguei à avó para saber como estavas.. ela disse-me que tinhas um tumor no fígado.. aquele momento foi como se eu deixasse de existir.. nunca me tinha dado com este tipo de problemas, mas sabia perfeitamente o que era.. deixei cair o telefone e enchi-me de lágrimas.. vesti-me a correr e fui de imediato ver-te.. não pensei noutra coisa.. quando cheguei ao pé de ti, perguntaste-me porque tava a chorar.. e disseste que ia ficar tudo bem.. todos me perguntaram porque estava a chorar.. ainda não deveriam ter bem noção do que estava para vir.. mas eu tive a perfeita noção.. antes de sequer começares a definhar, eu já tinha noção do que se ia passar.. e assim foi.. foste operado e removeram-te parte do tumor, mas mais não puderam fazer.. fui-te visitar ao hospital, e uma vez mais, rebentei em lágrimas.. senti-me cada vez mais revoltado com o mundo, senti-me só, isolei-me de tudo e todos.. fui criando uma barreira.

O tempo foi passando.. e em Setembro desse mesmo ano, descobriu-se o problema do avô.. tal e qual o teu.. e eu rebentei uma vez mais.. a primeira coisa que pensei foi "Já não basta? Já não basta o que se passa com o meu pai, ainda ter que ser o meu avô?". Pois.. e foi assim que voltei à beira do colapso.. mas foi a partir dai que ainda te comecei a idolatrar mais.. mesmo com o teu problema, mesmo sabendo que não deverias sair à rua, e deverias repousar o máximo de tempo possível, não deixaste de estar presente.. todos os dias passavas lá em casa.. todos os dias ias ver o meu avô e a mim.. apesar dos "problemas" foram tempos perfeitos..E o tempo foi passando.. e tu foste definhando.. passado uns meses, rebentou-te uma úlcera.. e segundo os relatos da mãe e de todos os que presenciaram, metade do sangue do teu corpo, foi parar ao chão, paredes e tudo quanto era possível.. o médico disse que se tivesses sido socorrido uns minutinhos mais tarde, não passavas daquela noite.. aliás, quando a mãe chegou e me contou, ela disse-me que provavelmente não passavas daquela noite.. fiquei a noite toda a chorar.. e a desejar que tudo corresse bem para que eu podesse voltar a estar contigo.. e tudo correu bem. Voltamos ao passar do tempo.. e foste piorando de dia para dia.. até que, no dia 22 ainda deste mês (Agosto), uns minutos depois de acabar o dia dos teus anos, e de começar o meu, foste para o hospital.. ainda voltaste para estar presente nos meus anos.. e por isso também de idolatro.. apesar da tua condição, deste tudo quanto conseguiste para estar presente e teres os meus 17 anos na tua memória.. acabaste voltando para o hospital no dia seguinte.. e de dia para dia, foste piorando.. O médico falou com a avó.. e disse que o teu estado só irá piorar, e pouco ou nada há a fazer.. que se calhar era melhor induzirem-te em coma para tu poderes 'dormir' até partires.. ou seja, diminuirem-te o sofrimento..Nem imaginas o quanto isto me está a custar.. Todos os dias acordo a chorar e a pensar em ti.. todos os dias me deito a chorar e pensar em ti.. e não há um único dia em que eu não tenha pesadelos sobre tudo isto.. e em todos os meus pesadelos.. tu estás à beira de partir.. e quando partes, eu morro por dentro.. sinto uma tristeza enorme.. é como se parte de mim tivesse partido contigo..Só desejava que nada disto tivesse acontecido.. mas olha, foi o que nos saiu na ribalta.. Ainda não partiste, mas sei que é melhor começar as despedidas, antes que seja tarde de mais.. é agora a altura para dizer tudo.. provavelmente não terei coragem para te dizer nem metade.. mas prometo que vou pelo menos escrever uma carta para que alguém te leia essa dita carta.. não prometo não ficar destroçado quando acontecer o pior.. mas prometo que vou dar tudo por tudo para que não tenha sido em vão.. nunca te vou esquecer.. e quero ter parte de ti em mim! Quero que quando falem de mim digam "Ele herdou isto do pai.. ele é tal e qual o pai..", mas que o digam com orgulho!! E acima de tudo, quero saber que seja lá para onde fores, me acompanhas.. e que tens orgulho em mim! Independentemente do que eu fiz, faço ou farei.. Só quero sentir que nada foi em vão.. e que mereço a tua aprovação..Não foste perfeito, ninguém é.. mas és o meu pai.. o meu ídolo.. e todos os dias penso como teria sido se nada disto tivesse acontecido. Esta é a minha mensagem de despedida (adiantada).. não foi dito nem metade do que se passou entre nós.. nem foi dito metade do que foi o nosso relacionamento.. mas apesar de todo o mal que me fizeste ao não estares presente, eu apenas irei recordar o bem que me fizeste.. e não te vou deixar ir sem saberes que eu te perdoo por não teres sido o pai perfeito.. e sem saberes que és o meu ídolo, e que sempre que falar de ti, terei o maior dos orgulhos. As lágrimas escorrem o meu rosto no momento.. e sei que durante uns tempos assim será.. são tempos difíceis, mas um dia vou olhar para trás e vou dizer que valeu tudo a pena.. porque me moldaram numa pessoa forte.. posso dizer que estou preparado para a vida.. e agora é que ela começa..Só peço que deixes de sofrer.. e quando achares que é hora de partir que o faças.. nós iremos chorar, mas a vida continua.. e sei que estarás a olhar por todos nós.. E por tudo o que ficou por dizer.. eu apenas te direi: AMO-TE PAI! NUNCA TE ESQUEÇAS DE MIM, DA MESMA MANEIRA QUE EU NUNCA TE VOU ESQUECER...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:32

Ai a minha vida...

por lady magenta, em 03.08.12

 

 

Há coisas na vida...Ou melhor, há com cada coisa na vida...

Sou casada em segundas núpcias...Do meu primeiro casamento resultou o meu rico e adorado filho mais velho.

Não foi um casamento feliz. Foi uma relação conturbada que durou 4 penosos anos e me destruiu completamente a auto-estima...E tudo o que ambicionei ser.

O meu filho foi, literalmente, educado pelo avô, meu pai, e pelos tios...Subsequentemente apareceu o temível "padrasto", que não lhe quis arrancar o coração, mas acabou por conquistá-lo,(muito embora, a relação destes dois seja baseada numa dupla interminável amor/ódio, mas entendem-se...)

Acho triste e lamentável que o pai do meu filho, agora na recta final, fique triste por não ter noticias do filho...

Tanto que o adverti, "Paulo, o teu filho há-de crescer..."

Pelos vistos cresceu...

Nunca senti necessidade, nem sequer foi equacionado pela minha pessoa, usar os filhos como arma de esgrimir....Os filhos são os filhos, as nossas relações com outras pessoas são o resto.

Nunca falei sobre o que fosse, despeitadamente, com o meu filho, apesar de ele estar a par de todos os porquês da minha relação com o pai dele não seguido o caminho óbvio...E fi-lo saber desde o primeiro minuto, que apesar da nossa relação enquanto casal ter terminado, ele é nosso filho e muito amado por ambos...

Como podem agora ao fim de 17 anos, vir-lhe cobrar seja o que for?

Não podem.

E ainda bem que ele tem a mãe que tem, porque se assim não fosse, o meu filho a esta hora, em vez de estar a gozar umas merecidíssimas férias longe de tudo e todos, estaria a fazer companhia ao pai...

Não que ele não ame o pai, ele simplesmente idolatra-o...Mas tem orgulho e amor próprio suficientes, para reconhecer que apesar de amar tanto o pai, ele já existe à dezassete anos, e o pai só se aproximou dele agora...

Nunca lhe faltou nada de material, a família do pai e eu, nunca deixámos. Os afectos que não teve, foram substituídos por coisas e não sentimentos. Uma lacuna na vida dele, que jamais poderá ser substituída...Culpo-me, mesmo sabendo que não poderia obrigar o pai dele, a desempenhar um papel para o qual não estávamos minimamente preparados...Eu com 19 anos e ele com 29...Deveria ter esperado, não deveria ter deixado que acontecesse. No entanto naquela altura, ainda bem que aconteceu. Livrou-me dos vícios, fez-me ter um objectivo pelo qual lutar...Salvou-me a vida.

A escolha não foi a melhor, mas foi a possível...

O pai do meu filho não é mau homem, pelo contrário, é o melhor Ser humano que conheço, tão puro, tão genuíno, que toda a gente se soube aproveitar dele...Incapaz de ver maldade em nada. Com um vício terrível, o álcool...Enfim...

Nunca foi um homem de objectivos, apenas de sonhos...Nada ambicioso, mas um excelente profissional...Podia ter tido o mundo, se tivesse outra personalidade, assim, teve os amigos que teve e viveu a vida que quis...

As suas escolhas influenciarão a vida do filho para sempre.

O meu filho não é amargurado, sempre soube ver a pessoa que o pai é...A fase do choro, da raiva, dos sentimentos baralhados já lhe passou...

Hoje olha para o pai, sobretudo com pena...Pena que o pai não tenha participado mais na vida dele, pena que o papel de pai tenha sempre, sido desempenhado por outros...

O meu filho tem de viver com esta mágoa, e eu também...

Não é justo...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:35

O "câncaro", o meu pai, eu...

por lady magenta, em 22.02.12

 

 

Mais um dia na ronda hospitalar...

Tive o privilégio de te dar o almoço e, se comes-te bem!

Mas é duro...

Tão duro que nem há explicação...

De dia para dia estás mais fraquinho, quase nem te fazes ouvir...Mal consegues levantar os braços, as forças não chegam...Falar custa, mexeres-te também...

Hoje no meio de toda a tragédia ainda nos rimos...Porque pedis-te uns sapatos para quando te "fores embora"...A mãe acha que te traz umas galochas porque pode calhar estar a chover, eu achei que era melhor levar-te o fato da pesca!

Enfim...Temos de ir intercalando o riso com o choro...

Uma coisa é certa, a equipa que te acompanha é absolutamente extraordinária!

Todos...

Do mais humano que possam imaginar, e carinhosos...Para o meu pai e para nós.

Hoje a psicóloga andou atrás de mim..."Fale Susana, deite para fora..." Não consigo Dra...Não agora." 

O que me resta do dia? O carradão de beijinhos que me deste...

Que poderão ter sido os últimos, em jeito de despedida...Ou amanhã, ainda tenha tempo para muitos mais...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:45

o "câncaro", o meu pai e eu #7- dia 17

por lady magenta, em 23.09.11

(imagem retirada da net)

 

 

É certo e sabido que não sou, de todo, certa do juízo. Ultimamente, pela força das circunstâncias, estou bem pior... Oiço as palavras dos outros, vejo os trejeitos faciais, mas não absorvo a informação. Não dá jeito...Nenhum. Por outro lado, tenho uma horda de amiguinhos imaginários, com os quais tenho mantido acesas discussões, nos últimos dias...

Durante alguns momentos desta tarde, passeei o envelope fechado que continha o tão esperado relatório. O parto foi difícil, mas o dito foi parido.

Ele passeou comigo de carro no centro de Lisboa, de cinto posto e no lugar do pendura. Fumámos o cigarro da ordem, ouvimos música alta, fizemos gestos obscenos aos pseudo-condutores profissionais e, esperámos. Esperámos que a coragem tomasse conta de nós e, se apossa-se dele com vontade suficiente para encarar a realidade. A angústia apoderou-se quando percebi que deveria ter seguido a carreira de radiologista...Não percebi ABSOLUTAMENTE NADA do que dizia...Não era para perceber. Telefonei ao médico, li-lhe o relatório. O diagnóstico mantém-se.

Durante o dia, por alguns momentos, idealizei milagres, enganos, pedidos sofridos de desculpas...Em milagres não acredito, em enganos por profissionais competentes também não, pedidos de desculpa evitam-se...Enfim... Podia ter passeado com o dito envelope e o desfecho ter sido diferente. Não foi...Segunda feira começa nova batalha, em novo hospital com profissionais tão competentes quanto os outros. Hoje dormi, tomei banho (finalmente!) e comi em condições...Talvez à espera que me fosse contrariada a tendência céptica... Hoje esperei por um milagre. Não aconteceu.  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:57

o "câncaro", o meu pai e eu #6- dia 16

por lady magenta, em 22.09.11

(imagem retirada da net)

 

 

Hoje foi dia de corrida ao hospital. Temos sorte neste aspecto... O médico que nos "saiu na rifa" é humano, não sofre do síndrome de " deus"...(pelo menos aparentemente) Normalmente quando tenho de o encontrar, costumam dizer que "está em boas mãos". O colega que o aconselhou, disse exactamente o mesmo; " Não podia estar em melhores mãos. Se fosse o meu pai, era a ele que recorria..."

Hoje andei feita barata tonta à procura dele...Ele encontrou-me. Juntos vimos as imagens da última ressonância, aquela que irá ditar o resto do percurso...Não gostámos do que vimos. Um rim quase todo ocupado pelo tumor, a artéria mesentérica comprometida, o ducto pancreático também...Resta saber se os gânglios adjacentes também estão comprometidos...Para isso terei de correr para lá antes das 9h. de amanhã...Esperar que a médica que lhe fez a ressonância seja igual a este profissional espectacular e, do alto da sua caridade me passe o relatório, para o poder ler ao telefone ao Dr. que mesmo na sua folga, se disponibilizou a facultar-me o seu numero de telefone pessoal para o maçar... Não que ficasse feliz com a ideia de chatear alguém, no seu descanso merecido, mas a urgência da situação assim o impôs... Hoje não foi um bom dia. Amanhã, provavelmente também não...

Só espero ao menos lembrar-me de comer...E já agora de dormir...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:31

os outros e eu #1

por lady magenta, em 21.09.11

(imagem retirada da net)

 

 

Entendo que a toda a hora me digam que tenho de reagir. Sei que tenho, mas neste momento não sou capaz. Acho que tenho de dar tempo ao tempo, para tentar organizar as ideias.

Todos sofremos de forma diferente, todos reagimos de forma diferente. O comentário que mais tenho ouvido tem sido "Ele ainda não morreu!!!"...Pois não. Eu sei. Nem de forma alguma me sinto tão triste pela iminência de ele me ir faltar...No fundo o que deita realmente abaixo, é pensar que ele está a sofrer e não lhe posso fazer nada...Da mesma forma que me custa pensar em todas as provações que passou, para vir a morrer de uma forma odiosa...Em sofrimento...Totalmente dependente.

Habituei-me a ver o meu pai como um herói...O super herói que levou 14 anestesias e acabou por retirar as amígdalas a sangue frio, durante a guerra colonial. O herói que lutou numa guerra sem sentido e, que voltou para contar a história. O herói que com uma hérnia estrangulada foi sozinho para o hospital sem dar parte fraca, nem dizer nada a ninguém. O herói que não se queixa...Não geme. O meu pai é o meu herói...O meu filho mais velho também. No mesmo dia em que soubemos que o avô, provavelmente só terá 3 meses de vida, o pai dele, meu ex-marido, ficou a saber que não fará mais quimio...Na perspectiva da equipa que o segue, terá entre 6 meses a 1 ano de vida. A vida é assim. Eu sofri com ele tudo o que passou até agora com a doença do pai. Agora é ele que sofre comigo. O meu pai é o meu herói. O meu filho mais velho também...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:08

o "câncaro", o meu pai e eu #4- dia 13

por lady magenta, em 18.09.11

 

(imagem retirada da net)

 

Acredito piamente, que em situações como a que estou a passar, ninguém saiba bem o que dizer ou como agir...

Mas também sei que temos a extraordinária capacidade de dizer coisas, menos felizes...

Eu por mim, tenho a estranha capacidade de me rir alto e bom som, de tudo o que é estranho, macabro e triste. Sou do tipo de pessoa a quem dá valentes ataques de riso em velórios, se ri que nem uma perdida quando vejo alguém a cair na rua... Por isso não levo a mal e, compreendo perfeitamente que os que falam comigo me digam, recorrentemente -"não sei o que te hei-de dizer"; "não tenho palavras"...

O que de todo não acho normal, mas até compreendo, são coisas do tipo, "tens de ir já fazer exames"; "vais morrer do mesmo"; "que idade o teu tinha", e outras tantas que nem guardei por serem exageradamente estúpidas...

Que a herança genética não é das melhores já sei, no entanto, não significa que vá desenvolver a doença.

O meu pai tem 69 anos...Ainda cá está.

Fazer exames para quê? Poderei até morrer atropelada... Poderei até morrer de velha.

Não vou fazer dos factores genéticos a minha cruzada pessoal.

Vou gozar os momentos que me restam com o meu pai, que AINDA cá está... Não ficar hipocondríaca só por ele estar a morre de cancro, que pensávamos ser no cólon e afinal é no pâncreas... Enfim.

Por estas e outras tantas que nem vale a pena mencionar, é que sempre que falo com alguém peço, "por favor, vou falar contigo, mas depois não me faças perguntas..."

É por estas e por outras que dou respostas menos felizes e, ainda têm o descaramento de me dizer que tenho mau feitio...

Se respondesse à letra, tenho a certeza que já ninguém me falava...

Se está a ser fácil? Óbviamente que não. Com comentários destes, ainda bato em alguém...Depois posso sempre alegar um súbito momento de loucura devido às circunstâncias.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:25


Porque nem tudo o que luz é ouro e nem tudo o que brilha é prata...

Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Outubro 2015

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031



Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D